Notícias

O Ministério do Interior de Moçambique, com o apoio do UNFPA, desenvolve um aplicativo para gerir casos de VBG

2 Maio 2019

O Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA) em Moçambique está a apoiar o Ministério do Interior no desenvolvimento de uma plataforma digital, InfoViolencia, para registo, gestão e controlo de casos de Violência Baseada no Género (VBG). A longo prazo, o sistema permitirá o encaminhamento de sobreviventes para outras instituições responsáveis ​​pela gestão de casos, como instalações de saúde, justiça e centros de apoio social integrados. A EPOP Survey Consultoria e Serviços desenvolveu este software durante os últimos 8 meses em forte colaboração com o Ministério do Interior e o UNFPA.


Emidio Sebastiao (UNFPA) agradece aos participantes e ao Ministério do Interior pela iniciativa inovadora

“O UNFPA está feliz em iniciar esta fase pré-piloto. Após vários meses de trabalho intenso, poderemos avaliar a eficácia dessa ferramenta digital. Muitos de nós nascemos antes dos computadores. No entanto, todos nós precisamos adotar a tecnologia e aproveitar todos os benefícios que ela traz para o nosso dia a dia. ” Emidio Sebastiao, Analista do Programa Adolescente e Juventude, UNFPA.

Hoje, a fase pré-piloto começou com a formação de policiais de três delegacias em Maputo e Matola. Durante esta fase, os representantes da força policial aprenderão a preencher o formulário para o registro de casos de GBV, e usarão a plataforma InfoViolencia para inserir os dados. O pré-piloto será executado em maio e servirá para avaliar o desempenho, funcionalidade, usabilidade e eficácia da plataforma, para poder fazer melhorias e, posteriormente, expandir seu uso para todo o país.


Os participantes trabalham em duplas durante uma sessão de grupo no treinamento sobre InfoViolência

“Moçambique precisa de um sistema mais efectivo para registrar e acompanhar casos de violência. Com essa inovação, poderemos ter um sistema confiável para colectar dados sobre a violência baseado no gênero e garantir que os sobreviventes obtenham o acompanhamento certo de acordo com suas necessidades ”Joaquim Nhampoca, Ministério do Interior.