You are here

Raparigas e Mulheres Jovens são Agentes de Mudança na Resposta ao COVID-19 em Moçambique

"Eu informei as raparigas do meu espaço seguro e outros membros da comunidade sobre como elas podem prevenir-se do COVID-19, de que precisam se distanciar uma da outra, sempre lavar as mãos com água e sabão e ficar em casa. Estou a certificar-me de que as raparigas continuam protegidas", proclama Amina Cavana, 18 anos, da província de Nampula, no nordeste de Moçambique. 

Ela é uma das 5,608 mentoras do programa de saúde e direitos sexuais e reprodutivos, liderado pelo governo para raparigas e mulheres jovens, “Rapariga Biz”, que estão a desempenhar um papel de agentes de mudança com os seus pares, famílias e comunidades na resposta ao COVID-19.

Rede comunitária de jovens mentoras

Desde o final de 2016, Rapariga Biz alcançou quase 700,000 raparigas e mulheres jovens entre 10 e 24 anos, através de sessões de mentoria em espaços seguros nas províncias de Nampula e Zambézia, capacitando-as com conhecimento e informações sobre saúde sexual e reprodutiva, violência baseada no género, direitos humanos, habilidades para a vida, participação social, liderança, habilidades para tomada de decisão, etc.

A espinha dorsal de Rapariga Biz é a rede de jovens mentoras, que realizam sessões semanais de mentoria para 30 raparigas e mulheres jovens, fazem contato com outros membros da comunidade e encaminham para serviços de saúde, educação e justiça. As mentoras são modelos e agentes de mudança nas suas comunidades nos esforços para prevenir e responder a casos de casamentos prematuros e gravidez na adolescência. A confiança criada entre as mentoras e as raparigas está a permitir que as mentoras guiem e influenciem a transformação positiva nas atitudes e comportamentos entre as raparigas mais jovens nos espaços seguros, tanto em termos de saúde e escolhas sexuais e reprodutivas - mas também nestes tempos do surto do COVID-19.   

"Tenho compartilhado mensagens preventivas via SMS para os pais das raparigas do meu grupo de mentoria, depois eles passam as informações para as filhas. Também tive a oportunidade de participar de um treino sobre a prevenção do COVID-19 e participei do programa da manhã da Rádio Moçambique, onde compartilhei informações sobre prevenção, sinto-me motivada a continuar a compartilhar essas informações e tive a ideia de começar a fazer máscaras de capulana (tecido tradicional moçambicano) junto com as minhas raparigas para ajudar a prevenir o COVID- 19", compartilha a mentora de 18 anos, Sheila Jamal, da cidade de Nampula.

Raparigas e mulheres jovens em maior risco em tempos de crise

“As mentoras foram rápidas em se adaptar às novas circunstâncias e continuam a agir como agentes de mudança, em meio à sensação de ansiedade e insegurança que o COVID-19 induziu em todo o país”, diz Farouk Simão, Diretor Geral da Associação Coalizão da Juventude Moçambicana.

De acordo com as instruções do governo relacionadas ao surto de COVID-19, Rapariga Biz se adaptou à situação, transformando as sessões de mentoria em sessões temáticas de rádio comunitária co-lideradas pelas mentoras, sessões individuais de mentoria estão a acontecer por telefone, mediante solicitação. Apoio psicossocial também é oferecido às raparigas e mulheres jovens por telefone, e as mensagens preventivas de COVID-19 são compartilhadas por canais digitais, incluindo o SMS Biz. Está em andamento uma nova iniciativa para capacitar as mentoras selecionadas a participarem dos esforços de vigilância comunitária do Ministério da Saúde.

Em tempos de crise, como um surto de pandemia como o COVID-19, mulheres e raparigas correm maior risco de violência baseada no género, incluindo violência por parceiro íntimo, casamento prematuro e outras formas de violência doméstica, exploração e abuso sexual, devido ao sustento escasso, aumento das tensões domésticas e interrupção do acesso a serviços de saúde, sociais e de proteção. A rede de aconselhamento, informação e apoio ponto a ponto fornecida por Rapariga Biz através das mentoras é, portanto, mais crucial agora do que nunca, e as mudanças de atitudes e comportamento muitas vezes se estendem para além da rede de raparigas e mulheres jovens, criando efeitos cascata entre os pares, famílias e comunidades - também provando ser relevantes em tempos de crise.

“Estamos a testemunhar o papel fundamental que os jovens podem desempenhar em tempos de crise, dos quais as ações da mentora de Rapariga Biz exemplificam claramente. Dado que 65% da população do país tem menos de 25 anos, a Organização das Nações Unidas (ONU) está comprometida, em colaboração com o governo e outros parceiros, a aproveitar o imenso poder da juventude como agentes comunitários na resposta ao COVID-19 em Moçambique, ”diz Andrea Wojnar, Representante do Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA) em Moçambique.

Rapariga Biz é um programa conjunto da ONU que começou em maio de 2016 com assistência técnica do UNFPA, como agência líder, UNESCO, UNICEF e ONU Mulheres, e o apoio generoso da Agência Sueca de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (SIDA) e do Governo do Canadá.