Young people

Quanto a componente de Jovens e Adolescentes, o UNFPA defende o ampliação da prioridade em adolescentes, especialmente raparigas, nas políticas e programas de desenvolvimento nacional, particularmente as que dizem respeito ao aumento da disponibilidade dos serviços de educação sexual abrangente e saúde sexual e reprodutiva.

De uma forma integrada, o UNFPA defende, através desta componente:

Quanto a componente de Jovens e Adolescentes, o UNFPA defende o ampliação da prioridade em adolescentes, especialmente raparigas, nas políticas e programas de desenvolvimento nacional, particularmente as que dizem respeito ao aumento da disponibilidade dos serviços de educação sexual abrangente e saúde sexual e reprodutiva.

De uma forma integrada, o UNFPA defende, através desta componente:

Para gravidez na adolescência

Estima-se que 20.000 raparigas com menos de 18 anos dão à luz todos os dias nos países em desenvolvimento. Isso equivale a 7,3 milhões de nascimentos por ano.

Quando uma adolescente fica grávida, a sua vida pode mudar radicalmente. Sua educação pode ser interrompida e as suas perspectivas de emprego condigno diminuem. Ela torna-se mais vulnerável à pobreza e à exclusão, e aumentam as complicações de saúde. As complicações da gravidez e parto são a principal causa de morte entre meninas adolescentes.

A gravidez na adolescência muitas vezes não é o resultado de uma escolha deliberada, mas sim a ausência de opções: É uma consequência do pouco ou nenhum acesso à escola, informações ou cuidados de saúde. O UNFPA trabalha para responder a estas questões, centrando-se na protecção e salvaguarda dos direitos das raparigas. Isto inclui o apoio à educação sexual abrangente e cuidados de saúde sexual e reprodutiva para ajudar as raparigas a evitar a gravidez. O UNFPA também apoia raparigas adolescentes que ficam grávidas, de modo a que possam retornar à vida normal, à escola e atingir seu pleno potencial.

Para Casamentos Prematuros

Casamentos prematuros é uma violação dos direitos humanos. Apesar das várias leis contra esta prática, ela continua generalizada, em parte devido a pobreza persistente e desigualdade de gênero. Nos países em desenvolvimento, uma em cada três raparigas casa-se antes de atingir os 18 anos de idade. Uma em cada nove casa-se menos dos 15 anos.

Os casamentos prematuros ameaçam a saúde e vida das raparigas, e limita as suas perspectivas futuras. Raparigas forçadas a casar cedo, o risco de engravidar ainda menores é maior, aumentando o risco de complicações na gravidez ou no parto.

O UNFPA promove legislação e programas destinados a acabar com os casamentos prematuros. O UNFPA também apoia investimento baseado em evidências que conduzem ao empoderamento das raparigas com informação, habilidades e serviços necessários para o seu bem-estar, incluindo educação, saúde e uma transição segura para a vida adulta.

Para a Educação Sexual abrangente

Todo o jovem um dia terá de tomar decisões importantes sobre a sua saúde sexual e reproductiva, que poderão mudar a sua vida. No entanto, a pesquisa mostra que a maioria dos adolescentes não têm o conhecimento necessário para tomar essas decisões de forma responsável, deixando-os vulneráveis à coerção, infecções sexualmente transmissíveis e gravidez indesejada. A educação sexual abrangente permite aos jovens tomar decisões informadas sobre sua sexualidade e saúde. Estes programas constroem habilidades para a vida e incutem comportamentos responsáveis, e porque eles são baseados em princípios de direitos humanos, ajudam a expandir os direitos humanos, a igualdade de género e o empoderamento dos jovens.

UNFPA trabalha com os governos para implementar a educação sexual abrangente, tanto nas escolas e através de formação e de divulgação baseada na comunidade. O UNFPA também promove políticas para o investimento em programas de educação sexual que respondem aos padrões internacionalmente aceites.

Para a Participação dos Jovens e Liderança

Há mais pessoas jovens no mundo do que nunca: Cerca de 1,8 bilhão de pessoas estão entre os 10 e 24 anos de idade. A maioria deles vivem em países em desenvolvimento, muitas vezes representando a maior proporção da população. A qualidade de vida na adolescência irá determinar não só a qualidade e curso da sua vida no futuro, mas também o curso do mundo.

No entanto, muitos jovens não são capazes de participar plenamente na sociedade. Cerca de 175 milhões de jovens em países de baixa renda não podem ler uma frase completa. Dos jovens entre 15-24 anos, cerca de 500 milhões deles vivem com menos de $ 2 por dia, e mais de 73 milhões estão desempregados. Para as raparigas, as barreiras à participação são ainda maiores.

Mas quando habilitadas e com igualdade de oportunidades, os jovens são os vetores eficazes de mudança. O UNFPA aposta na parceria com os jovens, ajudando-os a participar nas decisões que lhes dizem respeito, e reforçar a sua capacidade de promover os direitos humanos e as questões de desenvolvimento, tais como saúde, educação e emprego.