Notícias

Consulta Regional da ONU sobre Juventude, Paz e Segurança

8 September 2017

Como parte de uma série de consultas regionais, o Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA) e outros parceiros das Nações Unidas organizaram uma reunião de consulta para a região da África Oriental e Austral que foi realizada em Joanesburgo, África do Sul, de 1 a 3 de agosto de 2017. Esta reunião regional sobre a Juventude, Paz e Segurança faz parte de um esforço global para reconhecer que, como agentes de mudança, os jovens são atores críticos na prevenção de conflitos e na sustentação da paz. Deise Chongo, uma jovem de 23 anos do Organização Parlamento Juvenil, representou a juventude de Moçambique durante esta consulta importante com o apoio do UNFPA em Moçambique.

A geração actual de jovens é a maior da história e os jovens geralmente são a maioria em países marcados por conflitos armados ou agitação, portanto, considerar as necessidades e aspirações da juventude em matéria de paz e segurança, é um imperativo demográfico. A inclusão dos jovens na agenda de paz e segurança e na sociedade de forma mais ampla é fundamental para construir e sustentar a paz. A participação significativa dos jovens na construção da paz tem sido dificultada por discursos que descrevem esmagadoramente os jovens como vítimas ou vilões. Felizmente, os tempos mais recentes mostraram uma mudança gradual neste paradigma.

 

A jovem Deise Chongo está agradecida pela oportunidade de participar junto com colegas (de 23 a 28 anos) da África do Sul, Suazilândia, Uganda, Burundi, Etiópia, Sudão do Sul, Angola e Ilha das Comores. Ela ficou satisfeita por aprender sobre as experiências da juventude nesses vários países africanos, afirmando que este conhecimento permitirá que os países da África Oriental e Austral alinhem suas estratégias para que seus esforços possam ser mais eficazes no futuro - particularmente num esforço para combater as percepções negativas sobre a juventude.

Deise espera que ela possa compartilhar sua experiência e as lições que aprendeu com a juventude de Moçambique a nível pessoal, e através do Parlamento Juvenil para que possam unir-se para criar novas iniciativas. A jovem ativista ficou impressionada com o fato de que todos os facilitadores, observadores e organizadores participaram activamente na conversa, mostrando a participação igual de todos os presentes. Isso fez com que ela sentisse que todos se preocupavam com as questões levantadas pelos jovens participantes e que cada indivíduo estava investido na busca de mudanças sustentáveis ​​para a juventude da África Oriental e Austral. Além disso, essa consulta ofereceu uma oportunidade para criar novas ligações e amizades que promovam novas conversas, não só sobre paz e segurança, mas também sobre a saúde e os direitos sexuais e reprodutivos dos adolescentes e jovens, o empoderamento da juventude e outras questões relacionadas com a juventude.